ABEOC São Paulo

Abeoc/SP move campanha contra a falta de ética em eventos

[Por Revista Hotéis, 09/12/2011]

O mercado de eventos vem sofrendo prejuízos inestimáveis por conta da postura antiética de profissionais e empresas envolvendo o mercado de eventos. Já faz tempo que a Abeoc/São Paulo – Associação Brasileira de Empresas de Eventos, acolhe discussões sobre os problemas enfrentados pelo empresariado sério que busca incrementar o mercado.

Neste momento em que o Brasil explode para o mundo por conta dos grandes megaeventos esportivos e que o mercado de eventos desponta como uma oportunidade única de negócios nacionais e internacionais, estamos no momento certo para iniciar um movimento para chamar atenção para a ética que deve reger os movimentos do setor e os profissionais que dele participam.

A Abeoc, como entidade, e cada uma das empresas devem assumir o papel de guardiãs da ética, da moral e do comprometimento com o que é correto em beneficio do setor.

O Brasil, particularmente, graças a sua engenharia na área econômica e a qualidade dos profissionais que atuam na área de Eventos, tem se fortalecido como destino internacional preferencial para as empresas realizadoras de eventos de todo o mundo.

A filosofia se expressa em suas definições identificando que a ética não se resume a moral, mas busca fundamentação teórica para encontrar o melhor modo de conviver. A literatura ensina que é fundamental refletir sobre o que é correto e incorreto, adequado e inadequado, bom ou mal, certo ou errado para que o homem saiba se comportar em seu meio.

Só assim avançamos e nos fortalecemos e, neste caso, o infortúnio do episodio do programa O Aprendiz – em que a questão da ética em eventos foi destacado, inclusive envolvendo a Abeoc e o presidente da Estadual São Paulo, terá sido valido e cumprido sua função.

Sugerida pela Abeoc/São Paulo e capitaneada por seu presidente, Jose Eduardo de Souza Rodrigues, essa campanha propõe a analise e avaliação de situações que gerem constrangimento para identificar a pratica de atitudes inadequadas e rechaçá-las, estudando e debatendo os Códigos de Ética da Abeoc e de outras entidades e organismos do setor, de forma a aperfeiçoá-los e promover sua utilização com maior rigor, a favor do setor e das centenas de empresas e dos milhares de profissionais que atuam com responsabilidade, dignidade e ética.

Sendo assim, convocamos todos os setores de eventos a abraçar esta causa e lutar pela ética neste segmento.

Tags: , , , , ,

Notícias Relacionadas

6 Comentários

  1. Parabéns pelo campanha, diga não a falta de ética em eventos,estou pedindo para reproduzir o texto e colocar nos nossos contatos.
    Acho que deveria ser uma campanha Nacional.
    Abs,

    • Prezada Sra Fátima,
      Muito obrigado por seu comentário. Fique a vontade para divulgar a campanha contra a falta de ética em eventos.
      Abs,
      Rogério

  2. Temos um Código de Ética. Vamos aplicá-lo e aperfeiçoá-lo.
    Vamos formar Conselhos de Ética em todos os estados onde estamos presentes para defender o setor dos maus profissionais e das más empresas.
    Vamos convocar as outras entidades do setor para se engajarem nesse Movimento.
    E a imprensa dos estados para multiplicar essa informação e torná-la pública.
    Vamos ás autoridades se necessário.
    Como já disse Lucy Van Pelt da turma do Charlie Brown:
    Estes cinco dedos… Individualmente eles são nada. Mas em conjunto, eles formam um arma que é terrivel.
    Vamos dizer NÃO à falta de Ética em Eventos!

    .

  3. O blog Gerenciando Eventos parabeniza essa iniciativa e publicou nota divulgando essa importante campanha.

    • Grato pelo apoio. Vamos juntos atraves de um movimento nacional banir do mercado aqueles profissionais e aquelas empresas que usam de artificios anti eticos em prejuizo dos bons profissionais e das empresas idoneas. Vamos dar um basta nisto!

  4. Olha pessoal, de fato, a ética tem que reger quaisquer segmentos do mercado, mas o de eventos, que é um dos mais importantes no país, principalmente.

    Estamos sempre com outros países envolvidos, o nome Brasil, tem que figurar sempre entre os que são mais sérios e que sua ética é proporcional à sua força no trade de feiras corporativas e congressos, são muitos profissionais envolvidos, desde o staff do operacional, montagem, limpeza, segurança, organização, até os dirigentes e líderes das instituições envolvidas, todos têm que fazer parte desta campanha de moralização no setor.

    Tem meu apoio e se eu meu deparar com situações que fogem ao bom profissionalismo, denuncio imediatamente, façam o mesmo.

    Abraço à todos.

Deixe um comentário em nosso site

Nota: Os comentários postados ficam aguardando moderação. Não é necessário reenviar seu comentário.