Clipping do Setor

Barômetro da Indústria de Eventos – 2013

Os resultados do primeiro Barômetro sobre a Indústria de Eventos no Brasil, realizado pela Eventos Expo Editora e apresentados na edição 67 da Revista Eventos, lançada em abril durante o Fórum Eventos 2013, foram bastante satisfatórios, mostrando que o setor continua em ascensão. A maioria das empresas de eventos (74,6%) aumentou seus investimentos em 2012 e 67% delas confirmou que pretendem investir mais ainda em 2013. O mercado corporativo foi apontado como o maior responsável pela melhoria dos negócios para 64,7% das empresas.

Para a realização do 1º Barômetro da Indústria de Eventos, a Expo Editora consultou 1.219 empresas de seu próprio cadastro e também de outras entidades, como Abeoc Brasil, Abrafec, Abrace, Ampro, Sindiprom e Ubrafe. 152 responderam a pesquisa, sendo que, destas, 41% são agências de eventos, 19,3% fornecedoras para eventos, 15,7% montadoras, 15,7% organizadoras de congresso e 6% promotoras de feiras. O Barômetro anual levanta sete aspectos da atividade destas empresas: faturamento, budget, empregos, investimento, custos, participantes e segmentos mais ativos.

O objetivo do estudo anual foi medir a transformação e as perspectivas de evolução (positiva ou negativa) no faturamento, número de participantes, orçamento, empregos e a quantidade de pequenos, médios e grandes eventos, nacionais e internacionais. A maioria das empresas entrevistadas (65%) indicou aumento no faturamento em relação a 2011, sendo que 56% indicaram crescimento superior a 6%. Para 76% dos entrevistados, 2013 deve se manter com bons resultados, com crescimento acima de 6%.

A variação do budget para eventos nas empresas pesquisadas mostrou alta acima de 6% para 31,7% dos respondentes, sendo que 23,2% apontaram crescimento acima de 10%. O otimismo para 2013 prevalece também com relação ao budget, que deve aumentar na opinião de 58,6% dos entrevistados.

A variação positiva no volume de participantes, segundo 48,8% dos respondentes, explica o aumento do faturamento e no budget dos eventos. O aumento de empregos gerados também foi apontado por 54,9% das empresas.

Embora o crescimento de faturamento, budgets, investimentos e empregos tenha se confirmado, as empresas entrevistadas demonstraram uma preocupação em relação à escassez e encarecimento da mão de obra, encarecimento no custos dos serviços e materiais, e apontaram que a crise internacional afetou a organização de eventos no Brasil. Na perspectiva de 2013, a crise continua sendo a maior preocupação, mas a Copa de 2014 e Copa das Confederações passam a demonstrar importância a partir deste ano, com 50% mais menções que a crise na lista dos TEN TOP TRENDS. Questões como concorrência predatória, segurança, inflação, falta de infraestrutura, incentivo e estabilidade política também são apontados como problemas.

Já os bons resultados obtidos com o Salão do Automóvel foram mencionados como favoráveis. Entre os aspectos positivos para o setor, aparecem a Copa de 2014, a mudança no perfil dos eventos e a inclusão da sustentabilidade na pauta do setor.

A pesquisa do Barômetro será repetida trimestralmente, fornecendo indicadores da atividade referente aos quatro trimestres do ano quanto às perspectivas dos negócios, faturamento, budget, empregos e participação nos eventos. Anualmente, também serão avaliados os temas que mereceram mais atenção dos dirigentes empresários, no ano que passou e na perspectiva do ano em curso.

Confira os dados do 1º Barômetro da Indústria de Eventos

 

[Portal Eventos, 02/04/2013. Veja a edição 67 da Revista Eventos]

Tags: , , , , , , , ,

Notícias Relacionadas

1 Comentário

  1. MUITO BOM MESMO!!! ESSES DADOS SÃO BASTANTE RELEVANTES AO ESTUDO DE MERCADO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS NO BRASIL

Deixe um comentário em nosso site

Nota: Os comentários postados ficam aguardando moderação. Não é necessário reenviar seu comentário.