Clipping do Setor

Hospitalidade do Brasil é item mais bem avaliado por turistas em pesquisa

[Por G1 18/11/2015]

A hospitalidade do brasileiro é o fator que o turista estrangeiro mais valoriza quando visita o país – e os preços cobrados pelos serviços turísticos, o que tem a pior avaliação.

É o que mostra uma pesquisa inédita feita pelo Ministério do Turismo com mais de 44 mil estrangeiros que visitaram o Brasil ao longo de 2014.

Os entrevistados foram abordados em 15 aeroportos internacionais e 10 fronteiras terrestres, sempre no término da visita – ou seja, quando estavam indo embora. Do total, 10.402 foram abordados no período da Copa do Mundo.

Segundo a pesquisa, 97,2% consideram a hospitalidade do brasileiro boa ou muito boa. A gastronomia ficou em segundo lugar entre os itens mais bem avaliados, com 94,4% de aprovação. Itens como segurança pública, alojamento, transporte urbano e limpeza também obtiveram uma boa nota.

Os itens com menor porcentagem de “bom” e “muito bom” (ou seja, que menos agradaram) foram os preços dos serviços turísticos (56,4%), telefonia e internet (62,6%) e rodovias (69,9%).

Copa do Mundo

Segundo o levantamento, os meses em que mais estrangeiros desembarcaram por aqui foram junho e julho — época de Copa do Mundo. Mais de um quarto das visitas (27%) aconteceram nesse período, à frente inclusive de épocas consideradas alta estação para o fluxo internacional, como janeiro (9%), fevereiro (8,3%).

A Copa também explica o aumento considerável no gasto médio dos estrangeiros em 2014. Nas viagens de lazer, cada turista gastou, em média, R$ 86,98 por dia no Brasil – no ano anterior, esse valor tinha sido de R$ 68,55.

De acordo com José Francisco de Salles Lopes, diretor do Departamento de Estudos e Pesquisas do Ministério do Turismo, isso se explica porque os gastos dos turistas que viajam para ver esse evento esportivo são tradicionalmente maiores do que a média.

“O turista que viaja para a Copa tem maior renda. Mais de 85% deles têm nível universitário, por exemplo. A renda familiar e pessoal é maior e, com isso, o gasto também sobe”, analisa.

Segundo os dados, cada turista estrangeiro que veio ao Brasil em 2014 gastou, durante toda a visita, uma média de R$ 1.165 para viagens de lazer e de R$ 1.618 para as de negócios.

Argentinos e norte-americanos

Em 2014, o Brasil recebeu mais de 6,4 milhões de turistas estrangeiros. Quase metade (48,7%) veio da América do Sul, 28,7% vieram da Europa e 13,1%, da América do Norte.

A Ásia responde por apenas 5,2% desse total, a África, por 2% e a Oceania, por 1,3%. Só 1% dos visitantes vieram da América Central e do Caribe.
Entre os países, a Argentina manteve o posto de principal lugar de origem dos turistas, com 27,1% do total. O Brasil recebeu em 2014 mais de 1,7 milhão de argentinos.

Em segundo lugar vieram os turistas dos Estados Unidos, com 10,2% do total.

Os norte-americanos são também os que mais gastaram aqui: em média, R$ 85,07 por pessoa por dia, bem acima do gasto dos sul-americanos (R$ 66,75) e dos europeus (R$ 67,52).

Outra particularidade desses turistas é que eles ficam bastante tempo no país: em média, 20 dias.
Por tudo isso, o governo quer atrair cada vez visitantes dos EUA, afirma o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves. “O norte-americano tem um tempo alto de permanência e é um dos que mais gastam. E é a segunda nacionalidade que mais vem ao Brasil. É um turismo de quantidade e qualidade”, afirma.

Uma das medidas que ele defende é um projeto de lei que permite extinguir a exigência de visto para turistas estrangeiros provisoriamente durante os Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. “O americano adora Olimpíada e o visto é uma grande dificuldade”, afirma o ministro.

Segundo o ministro, apesar de em 2015 não ter havido um grande evento no país como a Copa do Mundo,o governo espera que o número de turistas estrangeiros supere o do ano passado, especialmente devido à desvalorização do real frente ao dólar. “Com o dólar e o euro do jeito que estão, não apenas o brasileiro viaja mais dentro do país como ficou mais barato para os estrangeiros virem para cá”, afirma.

Sol, praia e futebol

Outra informação que a pesquisa mostrou é que quase metade dos turistas que passaram férias no Brasil em 2014 vieram em busca de sol e praia. A segunda motivação foi a Copa do Mundo, com um quarto das respostas.

Natureza, ecoturismo ou aventura ficou em terceiro lugar, com 12,8% das respostas, e as atrações culturais foram o principal fator de atração para 10,3% dos entrevistados.

Como de costume, a cidade mais visitada por quem fez viagens de lazer foi o Rio de Janeiro.

Mas houve uma novidade na segunda posição, que ficou pela primeira vez com São Paulo – à frente de Florianópolis e Foz do Iguaçu, que haviam sido segundo e terceiro lugares no ano anterior.

Já para turismo de negócios São Paulo segue como líder, mas em 2014 houve uma maior distribuição com outras cidades. Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador e Brasília apresentaram crescimento de 2013 para 2014.

A avaliação geral dos estrangeiros sobre a visita ao Brasil em 2014 foi boa: 36% disseram que a viagem superou as expectativas, 49,1%, que atendeu às expectativas, 12,6%, que atendeu em parte e 2,3% se disseram decepcionados.

Além disso, 95,1% disseram ter a intenção de retornar ao Brasil em outro momento.

Entre os meios de hospedagem, os hotéis, resorts e flats seguem como a opção mais procurada, mas hospedagens “alternativas” (como casa alugada, cama e café, campings e albergues) ganharam terreno, seguindo uma tendência mundial.

O levantamento mostrou ainda que a internet é o principal meio de informação para os estrangeiros que vêm para o país, à frente de dicas de amigos e parentes e de guias impressos.

Tags: , , ,

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário em nosso site

Nota: Os comentários postados ficam aguardando moderação. Não é necessário reenviar seu comentário.