ABEOC Ceará

Eventos médicos demandam alta qualidade e são a maioria

[Por  Panrotas, 04/04/2017]

Conferências e congressos médicos são sempre grandes acontecimentos. Há muitos profissionais e segmentos diferentes, resultando, assim, em milhares de datas ao longo do ano. Este tipo de encontro reúne quantidades enormes de pessoas e, por isso, precisa ser realizado em espaços que comportem o público em questão.

De acordo com o calendário de eventos do São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB), só a grande São Paulo realizou 937 na área de medicina, correspondendo a 35,9% do total e liderando como principal setor de eventos na cidade.

Para o presidente da Abeoc (Associação Brasileira de Empresas de Eventos) no Ceará, Rafael Bezerra, este tipo de evento tem enorme importância no setor corporativo sob o ponto de vista de quantidade. “A medicina tem várias áreas de atuação e cada uma delas tem sua própria feira, congresso ou conferência”.

Além disso, há a questão da qualidade. Normalmente o nível qualitativo desses encontros são altos. As empresas patrocinadoras costumam trazer palestrantes internacionais e as estruturas são muito bem elaboradas. “Em congressos para cinco mil pessoas, por exemplo, o número de profissionais para palestrarem chega a 700”, explica.

Eventos nacionais, de grande porte, podem chegar a custar R$ 4 milhões. Eles movimentam diversos setores, como o das companhias aéreas, empresas de serviços e hotelaria. Hotéis como o Windsor, por exemplo, estão focando cada vez mais na categoria médica. Até julho deste ano, a rede já tem cinco, em diferentes especialidades, confirmados. Serão mais de sete mil participantes. “Nosso objetivo é dobrar a representatividade desse segmento em 2017”, conta a diretora comercial, Rosangela Gonçalves.

Outro local que abriga diversas conferências e congressos de medicina – e que muita gente não conhece o potencial – é o Walt Disney World Resorts. O complexo oferece cinco hotéis com capacidade para receber eventos, cada um com suas características e orçamentos. Uma das salas tem capacidade para 6,5 mil pessoas, sendo uma boa opção para encontros farmacêuticos.

Um evento corporativo demanda organização, cuidado e muito trabalho. O público, geralmente, é extremamente qualificado, devido à situação socioeconômica, e, por serem complexos, exigem do organizador uma especialização. “Temos visto uma diminuição do valor de investimento dos laboratórios farmacêuticos. Com isso, a capacidade de quem organiza é muito importante, pois a pessoa precisará fazer um evento com a mesma excelência dos outros anos, mas com recursos mais escassos”, finaliza.

Tags: , , , ,

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário em nosso site

Nota: Os comentários postados ficam aguardando moderação. Não é necessário reenviar seu comentário.