Clipping do Setor

Veja como a política e a economia podem influenciar o Turismo em 4 cenários

[Panrotas, 26/07/2017]

O novo relatório da A.T. Kearney, encomendado pela Amadeus, indica tendências de personalização e viagem integrada como peças-chaves da indústria nos próximos cinco a sete anos. O estudo “E se? Imaginando o futuro da indústria de viagens” especifica quatro diferentes cenários mundiais e alerta que a emergência do protecionismo e do populismo na política podem atrapalhar o setor.

Segundo o estudo, baseado em workshops e entrevistas, a indústria de viagens deverá estar melhor preparada para fraturas na economia e política para tirar melhor proveito do crescimento econômico futuro. Com base nas tendências que contrapoem dois cenários – experiências personalizadas versus mercado de massa, e viagem integrada versus fragmentação – Amadeus e A.T. Kearney identificaram quatro cenários mundiais para os quais as empresas necessitam se preparar.

Veja quais são:

PICASSO
É construído sobre um mundo fragmentado marcado pela ascensão do populismo e por maiores preocupações com a segurança. Isso tem o efeito de tirar do radar outros destinos de viagens. Mesmo assim, a maior parte do mundo desfruta de certo crescimento econômico. As empresas investem em inovações para atingir mais clientes por meio de canais móveis, e essa interação permite que as empresas forneçam ofertas personalizadas mais sofisticadas.

DALI
Pressupõe que tanto as atitudes sociais quanto a prosperidade econômica criam um ambiente mais favorável para o compartilhamento de dados. Isso traz leis de privacidade menos rígidas e regulamentações mais leves, permitindo uma maior personalização da viagem. Vivendo no cenário Dali, as viagens se tornam mais rápidas, mais baratas e mais seguras. As pessoas se beneficiam da redução dos controles de segurança nas fronteiras e têm informações em tempo real sobre eventos inesperados como atrasos nos voos.

BOSCH
Os custos corporativos aumentam em toda a indústria enquanto as empresas lutam para cumprir com um mosaico de diferentes ordenamentos jurídicos, fiscais, trabalhistas e de proteção de dados. Estamos enfrentando um mundo fragmentado baseado no protecionismo e na desconfiança. Ao se deparar com o ambiente político Bosch, os viajantes buscam conforto em marcas confiáveis e reservam diretamente com fornecedores de viagens conhecidos.

WARHOL
Caracterizado pela viagem integrada e não personalizada que considera as implicações do forte crescimento econômico na Ásia, dando origem a uma grande classe média com mais renda disponível para viagens e lazer. Os viajantes preferem viagens de baixo custo e do mercado de massa em vez de ter opções personalizadas, mesmo em um mundo livre de barreiras.

O download da pesquisa completa está disponível por este link.

O novo relatório da A.T. Kearney, encomendado pela Amadeus, indica tendências de personalização e viagem integrada como peças-chaves da indústria nos próximos cinco a sete anos. O estudo “E se? Imaginando o futuro da indústria de viagens” especifica quatro diferentes cenários mundiais e alerta que a emergência do protecionismo e do populismo na política podem atrapalhar o setor.

Segundo o estudo, baseado em workshops e entrevistas, a indústria de viagens deverá estar melhor preparada para fraturas na economia e política para tirar melhor proveito do crescimento econômico futuro. Com base nas tendências que contrapoem dois cenários – experiências personalizadas versus mercado de massa, e viagem integrada versus fragmentação – Amadeus e A.T. Kearney identificaram quatro cenários mundiais para os quais as empresas necessitam se preparar.

Veja quais são:

PICASSO
É construído sobre um mundo fragmentado marcado pela ascensão do populismo e por maiores preocupações com a segurança. Isso tem o efeito de tirar do radar outros destinos de viagens. Mesmo assim, a maior parte do mundo desfruta de certo crescimento econômico. As empresas investem em inovações para atingir mais clientes por meio de canais móveis, e essa interação permite que as empresas forneçam ofertas personalizadas mais sofisticadas.

DALI
Pressupõe que tanto as atitudes sociais quanto a prosperidade econômica criam um ambiente mais favorável para o compartilhamento de dados. Isso traz leis de privacidade menos rígidas e regulamentações mais leves, permitindo uma maior personalização da viagem. Vivendo no cenário Dali, as viagens se tornam mais rápidas, mais baratas e mais seguras. As pessoas se beneficiam da redução dos controles de segurança nas fronteiras e têm informações em tempo real sobre eventos inesperados como atrasos nos voos.

BOSCH
Os custos corporativos aumentam em toda a indústria enquanto as empresas lutam para cumprir com um mosaico de diferentes ordenamentos jurídicos, fiscais, trabalhistas e de proteção de dados. Estamos enfrentando um mundo fragmentado baseado no protecionismo e na desconfiança. Ao se deparar com o ambiente político Bosch, os viajantes buscam conforto em marcas confiáveis e reservam diretamente com fornecedores de viagens conhecidos.

WARHOL
Caracterizado pela viagem integrada e não personalizada que considera as implicações do forte crescimento econômico na Ásia, dando origem a uma grande classe média com mais renda disponível para viagens e lazer. Os viajantes preferem viagens de baixo custo e do mercado de massa em vez de ter opções personalizadas, mesmo em um mundo livre de barreiras.

O download da pesquisa completa está disponível por este link.

Tags: , ,

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário em nosso site

Nota: Os comentários postados ficam aguardando moderação. Não é necessário reenviar seu comentário.