Matérias publicadas por Denize Moraes

  • ABEOC SP realiza com sucesso 4º FACE TO FACE

    A ABEOC SP promoveu nesta terça-feira (08/05) o 4º FACE TO FACE, no Centro de Convenções Rebouças. Associados presentes receberam os melhores palestrantes da área do mercado com abordagens dinâmicas e atuais para o dia a dia dos profissionais de eventos.

    O tema discutido foi a “Segurança em Eventos – Você e seu cliente sabem como se proteger?”, com Patricia Diehl Madeira, metereologista e sócia-diretora da Agência Climatempo, e Ricardo Sevecenco – advogado e especialista em Seguro de Entretenimento, diretor da Sensulini Seguros e que compõe a Diretoria Jurídica da ABEOC-SP. O debate foi mediado pela expert no assunto, Andrea Nakane, sócia-diretora da Mestres da Hospitalidade, relações públicas com especialização em Marketing, em Administração e Organização de Eventos, e possui 25 anos de experiência profissional acumulada em vivência na área de hospitalidade e indústria.

    A ABEOC SP trabalha para qualificar seu associado  para enfrentar as mudanças na economia e na legislação do setor.


  • Necessidade de reformas foi tema central de discursos durante posse da nova presidenta da Embratur

    Durante a posse da nova presidenta da Embratur, Teté Bezerra, realizada nesta terça-feira (8), um tema foi unânime nos discursos das autoridades: a necessidade de reformas no turismo para impulsionar o setor no Brasil. Em seu primeiro discurso à frente da autarquia, Teté destacou os avanços já realizados para ampliar a participação do Brasil no cenário internacional de viagens, como a implantação dos vistos eletrônicos e a aprovação, no Senado Federal, do projeto de céus abertos. Enfatizou, porém, que seu grande desafio será sensibilizar os parlamentares sobre a importância de aprovar o PL 2724, em tramitação no Congresso Nacional, que trata da transformação da Embratur em agência de promoção.

     

    “Queremos uma agência forte, que seja capaz de competir com os grandes receptores internacionais de turistas. Não dá para continuarmos investindo 17 milhões de dólares em promoção internacional, enquanto nossos concorrentes investem mais de R$ 50 e R$ 100 milhões. Queremos uma agência robusta, que seja capaz de realizar parcerias e promover o Brasil no exterior, através de ações de promoção, eventos e feiras”, disse a presidenta. Teté Bezerra citou ainda outras medidas que estão apensadas no mesmo PL – a abertura total ao capital estrangeiro das empresas aéreas nacionais e a modernização da Lei Geral do Turismo. A presidenta da Embratur lembrou, ainda, da conquista que foi a isenção temporária de impostos de importação de parques temáticos, outro segmento que pode ser um importante aliado à internacionalização do turismo do país.

    O ministro Vinicius Lummertz destacou a trajetória de Teté no turismo e suas realizações à frente da Secretaria de Qualificação e Promoção e reafirmou a importância da parceria entre MTur e Embratur para que grandes reformas sejam feitas. “Com seu currículo, Teté Bezerra mostra que é capaz de enfrentar o desafio e pode deixar como legado principal a transformação da Embratur em agência para o aumento da competitividade do Brasil no mercado internacional do turismo”, afirmou. Lummertz citou, ainda, os projetos que estão em andamento no MTur, como a parceria com a Embratur, Sebrae e BNDES para estruturação dos destinos brasileiros, com previsão de financiamento de cerca de R$ 5 bilhões para estados, municípios e iniciativa privada.

     

    Fonte: Ministério do Turismo


  • No Dia Nacional do Turismo, ministro fala sobre desafios do setor

    O Brasil, assim como outras nações, enfrenta hoje o desafio de buscar opções de desenvolvimento e fortalecimento de sua economia de forma sustentável. O crescimento do turismo acima da média da economia global – em 2017 foi de 7% com contribuição de US$ 8,3 trilhões para o PIB mundial – é um indicativo de que o setor tem as condições necessárias para liderar este processo. Recém-empossado no Ministério do Turismo, depois de presidir a Embratur, o ministro Vinicius Lummertz aproveita as comemorações do Dia Nacional do Turismo para falar à Agencia de Notícias do Turismo das oportunidades e desafios do setor.

     

    ANT – Ministro, o país tem o que comemorar neste 8 de março, Dia Nacional do Turismo?

     

    VL – O turismo vem ganhando cada vez mais importância no Brasil, com R$ 520,5 bilhões em contribuição para a economia, sete milhões de empregos gerados e 206 milhões de viagens domésticas, apesar de estarmos aquém do nosso potencial. Somos o 1º em recursos naturais e 8º em atrativos culturais no mundo, segundo dados do Fórum Econômico Mundial, mais ainda não estamos explorando a todo vapor esses diferenciais competitivos. Temos que comemorar sim os avanços e a possibilidade de crescermos ainda mais com a série de reformas que propomos para gerarmos mais negócios, empregos e renda por meio turismo.

     

    ANT – O sr. pode detalhar um pouco mais essas medidas e de que forma elas contribuirão para a geração de empregos?

     

    VL – No ano passado, com o plano Brasil + Turismo, pacote de medidas construído através de uma parceria entre o Ministério do Turismo, Embratur e empresários do setor, demos um salto importante na busca de soluções para destravar o setor, política que já tem alguns resultados. Conseguimos implantar o visto eletrônico, por enquanto para 4 países: Japão, Estados Unidos, Canadá e Austrália e já alcançamos índices de até 96,7% na emissão de E-visa em alguns casos. Nossa intenção é expandir o benefício para outros países, como Índia e China.

     

    Tivemos outras conquistas, como a regulamentação dos voos charters, que possibilitarão a entrada de 10 milhões de brasileiros no mercado de viagens; aprovamos no Senado o Céus Abertos, que vai tirar o limite de voos entre EUA e Brasil, atraindo ainda mais turistas para nosso país; e a isenção temporária de impostos para a importação de equipamentos de parques temáticos – pleito que agora trabalho para aprovar de forma permanente dentro do grupo de ministros do Turismo do Mercosul.

     

    Avançamos também com o envio para o Congresso Nacional das propostas de ampliar a participação do capital internacional nas aéreas brasileiras, transformar a Embratur em agência para reforçar a promoção do Brasil no exterior; e modernizar a Lei Geral do Turismo. Tudo isso vai contribuir para aumentar a presença do turista internacional do Brasil, estimular o turismo doméstico e, consequentemente, gerar empregos em nossos destinos.

     

    ANT – Em qualquer setor da economia não dá para falar em desenvolvimento sem injeção de recursos. Qual é a saída do MTur para fomentar investimentos no turismo em um momento de dificuldades econômicas como o atual?

     

    VL – A palavra-chave é parceria, pois nosso orçamento é bastante restrito. No momento, por exemplo, estamos trabalhando junto com o Sebrae, com sua expertise em formulação de projetos, e o BNDES na implantação do Prodetur + Turismo, um programa de financiamento para projetos de turismo de estados, municípios e para a iniciativa privada. Temos cerca de R$ 5 bilhões em recursos para aportar em projetos prioritários do setor, para estruturar as áreas de interesse turístico – desde a infraestrutura básica, até a construção e reforma de empreendimentos. Contamos também com o Fundo Geral do Turismo (Fungetur) que foi reformulado para atender as necessidades de crédito de micro e pequenas empresas, que são a grande maioria no setor.

     

    ANT – O Plano Nacional de Turismo 2018-2022 tem metas ambiciosas de ampliar para 2022 de quase dobrar o fluxo de turistas estrangeiros, hoje de 6,6 milhões, ampliar a receita cambial para US$ 19 bilhões e inserir o turismo na cesta de consumo de 40 milhões de brasileiros. Como chegar lá?

     

    VL – A ampliação da conectividade área está intimamente ligada às três metas que você citou. E nessa seara vimos o Senado aprovar a política de céus abertos entre Brasil e Estados Unidos, o segundo maior emissor de turistas para o Brasil depois da Argentina, e também avanços na regulação dos voos charter. São medidas que impactam de rotas e opções para o turista. Se alcançarmos a almejada abertura de mercado para empresas internacionais, que seja maior que os atuais 20%, aí sim, teremos mais concorrência e, com certeza, passagens mais baratas de fato. Creio que os indícios de recuperação da economia brasileira aliado à execução deste conjunto de ações nas quais trabalhamos no ministério nos dão confiança no cumprimento das metas do PNT.

     

    ANT – O trade turístico costuma reclamar sobre a dificuldade no ambiente de negócios do setor. Qual sua posição a respeito do tema?

     

    VL – As metas do Brasil+Turismo são ousadas. Nossa meta é chegar a 12 milhões de turistas internacionais (hoje são 6,6 milhões), 100 milhões de turistas domésticos viajando dentro do país (hoje são 60 milhões) e gerar 2 milhões de novos empregos pelo setor, saindo de 7 milhões para 9 milhões até o ano de 2022.

     

    Para alcançar esses números, nossa proposta é justamente melhorar o ambiente de negócios e reduzir a insegurança jurídica para que tenhamos mais investimentos e turistas em nosso país. Como disse anteriormente, não dá para o Brasil estar no topo do mundo no quesito recursos naturais, mas ocuparmos a 129ª colocação no quesito ambiente de negócios, de acordo com estudo do Fórum Econômico Mundial.

     

    Nesse sentido, está em tramitação no Congresso Nacional o projeto de lei 2724 que, entre as ações, prevê a modernização da Lei Geral do Turismo. São 118 mudanças propostas para desburocratizar o setor e dar mais segurança para a iniciativa privada desenvolver a economia, gerando emprego e renda ao povo brasileiro.

     

    ANT – O sr. tem defendido a necessidade de políticas voltadas para o aumento da visitação nos parques nacionais. Sabia que o dia escolhido para a comemoração do Dia Nacional do Turismo remete à data da assinatura da desapropriação de terras junto às Cataratas do Iguaçu para implantação do Parque Nacional do Iguaçu?

     

    VL – Este parque é um exemplo de parceria público privada bem-sucedida, um modelo a ser seguido nas demais unidades de conservação do Brasil. O Brasil +Turismo deu atenção à questão semelhante em prol do turismo, com a portaria que permite ao MTur identificar e promover áreas da União consideradas de interesse para implantação de empreendimentos turísticos como marinas, hotéis e resorts. E agora, vamos dar continuidade a essa proposta no escopo do Prodetur + Turismo, que poderá ser a fonte de financiamento para viabilizar esses investimentos. Estou trabalhando para conseguirmos avançar nesse tema e conseguimos reduzir a burocracia que nos impede de crescer.

     

    Fonte: Ministério do Turismo

     


  • Presidente da ABEOC GO apóia fomento do turismo na região

    Na última sexta-feira (04/05) a presidente da ABEOC Goiás, Kennya Soares Cecin, juntamente com a conselheira e associada, Camila Marinho, e representantes do trade turístico goiano, participaram do evento de lançamento das Cavalhadas de Goiás, no Palácio das Esmeraldas. Segundo Kennya, as ações da Goiás Turismo têm contribuído imensamente para o fomento do turismo em todo o estado. “Quero parabenizar o presidente Leandro Garcia e toda a equipe envolvida pela dedicação e pelo empenho em prol do desenvolvimento dos destinos goianos. Esses projetos ajudam a melhorar toda a cadeia produtiva do turismo”, destacou a presidente da ABEOC Goiás.


  • Aeroportos registram dois milhões de passageiros a mais em 2018

    Os três primeiros meses de 2018 apresentaram um crescimento acumulado de 3,71% na movimentação de passageiros do setor aéreo brasileiro. Os embarques e desembarques domésticos e internacionais somados representam quase dois milhões a mais de passageiros, de janeiro a março deste ano, em relação ao 1º trimestre de 2017. No total, foram 53,3 milhões transportados no trimestre contra 51,4 milhões no ano passado.

    “Essa reação do setor aéreo se reflete diretamente no turismo. O mercado ganha com mais brasileiros viajando e a economia do turismo cresce com entrada de turistas do exterior. A promoção do Brasil lá fora e ações positivas, como a facilitação de visto eletrônico para mercados estratégicos resultaram no aumento de passageiros vindos do exterior”, destacou o ministro do Turismo, Vinícius Lummertz.

    Segundo dados do Ministério dos Transportes, fevereiro foi o mês que apresentou o melhor desempenho com a maior variação positiva do trimestre, de 5,55%. A alta de janeiro foi de 3,96% e a de março ficou em 1,76%, na comparação com o ano passado. O crescimento do mercado doméstico no período foi de 3%. Já o fluxo de viajantes estrangeiros foi ainda mais positivo, de 14%.

    O levantamento nos 15 aeroportos brasileiros mais movimentados mostra que a maior variação positiva de passageiros domésticos foi no aeroporto de Recife, com 13,1%; passando de 1,75 milhão de embarques e desembarques para 1,96 milhão. No aeroporto de Guarulhos (SP) o crescimento foi de 11,0%, de 5,72 milhões para 6,34 milhões.

    O aeroporto de Belo Horizonte, em Confins (MG), que teve um aumento de 3,9% no fluxo doméstico, disparou na movimentação de estrangeiros com um crescimento de 111,6% no trimestre, em relação ao ano passado. Foram cerca de 160,3 mil viajantes internacionais embarcados e desembarcados, contra 75,7 mil registrados em 2017. Curitiba (PR) também mais do que dobrou o fluxo de passageiros internacionais, de 11 mil no ano passado para 22,6 mil de janeiro a março de 2018.

    No fluxo internacional também apresentaram bom desempenho os aeroportos de Recife (69,8%), Natal (31,0%), Porto Alegre (29,7%), Salvador (26,5%), Campinas (19,1%), Galeão (16,7%), Brasília (15%), Fortaleza (13%) e Guarulhos (7,0%).

    Florianópolis em alta - Pelo terceiro mês consecutivo, os visitantes internacionais se destacaram e chegaram a 39.963, representando um crescimento de 50% em relação ao mesmo período do ano anterior no aeroporto Hercílio Luz. O total de passageiros foi de 324.438 em março deste ano.  Em fevereiro, foram 338.155 embarques e desembarques. O crescimento foi de 5% em relação ao mesmo mês de 2017 com 321.147 passageiros. A alta se deve, especialmente, aos passageiros internacionais que cresceram 30%, pulando de 50 mil, em fevereiro do ano passado para 65 mil em fevereiro deste ano.  Em janeiro de 2018 foram 438.164 mil passageiros. O número representa um crescimento de 10% em relação ao mesmo período de 2017. Deste total, 16% dos passageiros foram internacionais e 84% oriundos de voos domésticos.

     

     

    Fonte: Ministério do Turismo


  • Cargo Way

    Somos um operador logístico de cargas com foco em feiras, shows e eventos esportivos, culturais e coorporativos. Oferecemos um suporte logístico end-to-end, com foco nos prazos e no compromisso com nossos clientes. Contamos com caminhões próprios, equipe altamente especializada e escritórios no Rio de Janeiro, Porto Alegre, Buenos Aires e Montreal, além de parceiros no mundo todo.

    Rua André Puente, 441/504 – Independência – Porto Alegre

    Tel.: (51) 3907 0612

    www.cargoway.com.br

    E-mail: cargoway@cargoway.com.br

     


  • Câmara de SP aprova projeto que libera privatização do Anhembi

    A Câmara Municipal de São Paulo aprovou nesta quarta-feira, 2, em votação definitiva, o projeto de lei que define as novas regras construtivas do Complexo do Anhembi, na zona norte da capital paulista. Com isso, a Prefeitura está liberada para privatizar o espaço de eventos, que inclui o centro de convenções, pavilhões de exposições e o sambódromo. A expectativa é de que isso ocorra até setembro.

     

    O texto foi aprovado por 41 votos a favor e 11 contra e agora seguirá para a sanção do prefeito Bruno Covas (PSDB). O projeto aumenta em até 68% o potencial construtivo da área (os limites de verticalização), que tem 400 mil metros quadrados. Ao todo, os compradores da área poderão construir 1,68 milhão m² no complexo, ante 1 milhão que era permitido pelo Plano Diretor da cidade.

    A liberação de um potencial construtivo maior do que o permitido atualmente era um dos fatores mais debatidos pelos vereadores. O entendimento defendido pela bancada de apoio ao governo Covas era de que o aumento seria fundamental para tornar a área mais atrativa para o mercado imobiliário. Especula-se no Legislativo que seja possível arrecadar até R$ 2 bilhões com a privatização.

     

    O projeto abre caminho para a construção de grandes prédios com finalidade hoteleira e para eventos e exige apenas a manutenção do sambódromo. Se os futuros proprietários mantiverem a finalidade de uso do local para eventos eles poderão ter um acréscimo de 20% no potencial construtivo autorizado.

     

    Em setembro do ano passado, quando o projeto que autorizava a venda do Anhembi estava em discussão na Câmara, o ex-prefeito João Doria cedeu à pressão da bancada evangélica e incluiu no texto artigo que reserva o sambódromo paulistano 75 dias por ano para eventos de carnaval e religiosos. O texto foi aprovado em definitivo em dezembro, mas o leilão do complexo de eventos ficou dependendo da aprovação de outro projeto com as regras construtivas.

     

    Em janeiro deste ano, o Tribunal de Contas do Município (TCM) liberou o pregão aberto pela Prefeitura para contratar uma instituição financeira que cuidará de todo o processo de privatização do Anhembi, desde a avaliação do valor mínimo de venda do complexo até a privatização definitiva, que será feita por meio de leilão das ações São Paulo Turismo (SPTuris), empresa municipal de eventos dona da área, na Bolsa de Valores de São Paulo. A venda será feita pelo Banco do Brasil Plural.

     

    A expectativa do secretário municipal de Desestatização, Wilson Poit, é de que o pregão de venda do Anhembi seja concluída até setembro deste ano. No fim do ano passado, Doria disse que a privatização seria concluída até março. “Imagina que um terreno de 400 mil metros quadrados em uma área nobre da cidade com vocação de 50 anos para o segmento de convenções e eventos já vale muito. Se somarmos a isso o potencial construtivo aprovado hoje a expectativa é de turbinar esses valores”, disse Poit.

     

    Mudanças. O projeto aprovado nesta quarta-feira é um substitutivo ao texto original, apresentado pela Prefeitura no começo do ano. Uma das alterações ao texto original é a garantia de uma “cota de solidariedade” para habitação social nos futuros projetos na área ou região ao redor do Anhembi – a destinação de parte dos recursos à população de baixa renda.

     

    Além disso, o texto reservou uma cota de investimentos públicos exclusivos para a zona norte de São Paulo entre os recursos que são arrecadados com a privatização e eventuais obras no local. Além da arrecadação com a venda direta do Anhembi, a Prefeitura estima arrecadar recursos com a outorga onerosa, espécie de contrapartida paga por incorporadoras. Essa taxa renderia R$ 400 milhões em investimentos na zona norte, pelas contas apresentadas nesta quarta durante as discussões.

     

    Essa contrapartida financeira é calculada com base em uma tabela municipal com os valores de m² por região que são multiplicados por um índice (fator de planejamento) usado pela Prefeitura para tentar direcionar o adensamento da cidade.

     

    Na região do Anhembi, que fica dentro do perímetro do Arco Tietê, o valor do metro quadrado é de R$ 967 e o fator de planejamento, de 1,3. O texto aprovado pelos vereadores reduz o índice para 0,7, o que, na prática, diminui em 46% o preço do m² que será construído a mais pelo empreendedor.

     

    Fonte: Estadão


  • Empresários vão se reunir no 4º FACE TO FACE em SP

    A ABEOC-SP  vai realizar o 4o FACE TO FACE, no Centro de Convenções Rebouças, no próximo dia 8, terça-feira. O objetivo é reunir associados e profissionais do setor para discutir temas de interesse para quem atua em eventos, além de ser uma oportunidade para aproximação entre as empresas, criando novos relacionamentos de negócios.

     

    Serão dois painéis, ambos no formato de talk show e com interação junto ao público presente. O primeiro, às 14h, “Segurança em Eventos – Você e seu cliente sabem como se proteger?”, com Patricia Diehl Madeira, metereologista e sócia-diretora da Agência Climatempo, e Ricardo Sevecenco – advogado e especialista em Seguro de Entretenimento, diretor da Sensulini Seguros e que compõe a Diretoria Jurídica da ABEOC-SP. O debate será mediado por uma expert no assunto, Andrea Nakane, sócia-diretora da Mestres da Hospitalidade, relações públicas com especialização em Marketing, em Administração e Organização de Eventos, e possui 25 anos de experiência profissional acumulada em vivência na área de hospitalidade e indústria.

     

    Logo após o coffee-break, às 16h30, “Gestão de Pessoas e a Comunicação verbal e não verbal”, com Sheyla Angelotti, educadora e pedagoga com especialização em Psicologia da Educação, Desenvolvimento Humano e Corporativo, e Luciano Toledo, que possui mais de 10 anos de experiência na área de comunicação atuando como professor no Senac, mestre de cerimônias com mais de 1000 eventos realizados. Os palestrantes pretendem passar orientações de como interpretar os sinais dos seus clientes e parceiros através de comportamentos e atitudes, e assim tornar o contato mais produtivo e a relação mais próspera.

     

    Nas edições anteriores do FACE TO FACE já foram abordados temas como acessibilidade, marketing digital e as novas regras trabalhistas, além de palestrantes de renome, a exemplo de Claudio Tomanini e José Luiz Tejon.

     

    As inscrições já estão abertas e podem ser feitas pelo link http://pvista.proevento.com.br/abeoc/shop/?cod_evento=104. Mais informações pelo  e-mail secretaria@abeocsp.org.br ou pelo telefone (11) 5082-2906.

     

     

     

    Agenda:

     

    Evento: 4o FACE TO FACE ABEOC-SP

     

    Data: 8 de maio de 2018, de 14h às 18h30

     

    Local: Centro de Convenções Rebouças – Av. Rebouças, 600 – Pinheiros – São Paulo-SP

     

    Investimento para participação/inscrição: Associados R$ 50,00 | Não sócio R$ 100,00

     

    Realização: ABEOC-SP

     

     


  • Presidente da ABEOC PR recebe escritor que fala das relações do turismo

    O presidente da ABEOC PR, Fabio Skraba, recebeu em 24/04 a visita de Nelson Mascaro Junior que lançará em breve o livro TURISMO DE PASSAGEM, que inclui novos conceitos e valores nas relações econômicas que visam o desenvolvimento do turismo. O autor é empresário na área tecnológica, com experiência em consultoria e inventário de oferta turística e vem desenvolvendo o tema há mais de 3 anos. O livro deverá ser lançado em versão digital, o que facilitará a distribuição e acesso à obra.

    Nelson Mascaro Junior e o Presidente da ABEOC PR, Fabio Skraba

     


  • Ministro do Turismo defende temas importantes do setor

    O ministro do Turismo, Vinicius Lummertz foi recebido ontem (26) pelo ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, e apresentou importantes pleitos do Turismo. Um deles diz respeito à redução temporária de tarifas no âmbito do Mercosul para a importação de equipamentos por parques temáticos, de modo a favorecer a atração de investimentos ao setor.

    Em nome do embaixador do Brasil na Argentina, Sérgio Danese, Lummertz solicitou apoio quanto à solução do impasse gerado com o fechamento do Aeroporto de Puerto Iguazú, atualmente em reforma. Com a interdição, entre 15 de abril e 15 de maio, voos são transferidos ao Aeroporto de Foz de Iguaçu, o que dificulta a imigração por viajantes sem vistos de entrada no Brasil.

    Na ocasião, Vinicius Lummertz recebeu do ministro a Medalha da Ordem de Rio Branco, no grau de Grã-Cruz. A condecoração, promovida pelo presidente Michel Temer, é a mais alta comenda de honra da diplomacia brasileira.